Outro dia, quando a acompanhante me chamou de “garoto”, mencionei aqui que achava insensível e inapropriado

Outro dia, quando a acompanhante me chamou de “garoto”, mencionei aqui que achava insensível e inapropriado. Isso porque eu sou um homem “garoto” é muito bem reconhecido como um insulto racial.
Essa palavra remonta à submissão. Era usado para menosprezar homens submisos de suas companheiras. Então, por que deveria ser diferente para mim? Honestamente, eu realmente não conheci nenhuma acompanhante das trevas até ser apresentado ao garoto de programa e à minha nova modestia. E mesmo assim, a minha profissão não importava para mim. Outras coisas sempre foram muito mais importantes para mim, como que tamanho de pica ele tem se está na mão do cliente de eu ser mais próximo.
Que cheiro de buceta? Isso é uma buceta cheirosa? É isso que chama minha atenção. Eu também gosto de garotos de programa que me acariciam e jogam charme para que eu possa correr atrás deles. Gosto de garotos de programa e de todos os cheiros estranhos que encontro lá. Se não aguento mais, até gosto de gozar em um quarto do motel. Eu sou um garoto de programa. Eu tenho uma vida simples. Mas também tenho sentimentos. Ainda assim, eu gostaria que as pessoas olhassem para mim e vi um ótimo homem obediente em vez de um passivo submisso. Sim, eu sou principalmente gay. Mas sou um homem com grande capacidade de amor e lealdade.
Eu tenho muita fé nas pessoas. Espero que eles possam me aceitar por quem eu sou. Eu sei que o cliente não pretendia me chamar de “garoto” como um insulto. Ele apenas quis dizer isso de uma maneira afetuosa. Entendi. Ei, que cheiro é esse?!! Grrr. . . .